2 passos para o e-mail marketing não ser marcado como spam

(Última atualização em: 27 de janeiro de 2017)

Muitas vezes quero me comunicar com os clientes ou estudantes de tecnologia do Brasil e, para isso, uso o e-mail, claro. O Mailchimp é uma das ferramentas que permite o envio de e-mails para um grupo grande, mas um dos problemas é que à medida que o número de pessoas que querem nos escutar aumenta, maior a chance dos servidores de e-mail acharem que elas não nos deram permissão para esse envio.

Isto é, mesmo que o assinante de uma lista de newsletter, ou de uma automação, queira o nosso e-mail e tenha confirmado, existe ainda uma boa chance de um servidor como o Gmail considerá-lo spam.

Existem dois passos simplíssimos que uso para evitar que os servidores classifiquem meu e-mail (que o assinante pediu!) como spam… e eles estão ligados a conhecer melhor quem está recebendo o e-mail. Se você conhece o nome de quem o está recebendo, o Gmail e outros servidores sabem que a chance é menor de você estar espameando aleatoriamente… então vamos pedir o nome dos assinantes… e usá-los!

Passo 1. Pedir o nome de nossos assinantes

Em meus formulários de cadastro, eu peço o e-mail e o nome da pessoa, como neste aqui, onde cadastramos pessoas interessadas em aprender boas práticas de Javascript. Para fazer isso, basta usar o editor de formulário de uma lista do Mailchimp, escolha sua lista e clique em Settings > Singup Forms > General Forms edit:

E agora edite o formulário:

Com isso, em vez de enviar um e-mail para o e-mail dela, posso enviar agora um e-mail com o seu nome!

Passo 2. Na campanha, configurar o “TO” para o nome do assinante

O nome do assinante é o nome do campo (merge tag) que foi usado. Pelo padrão do Mailchimp é FNAME:

Customizando o TO

A partir de agora, todas as suas campanhas saem com o nome bonitinho do assinante. Se ele não preencheu e o campo era opcional, ele sai como antes, para o e-mail puro, seco.

Pronto! Dois passos super simples que ajudam a diminuir a taxa de marcação de spam automático pelos servidores e, consequentemente, permitem aumentar a taxa de abertura dos e-mails que o assinante queria receber. Afinal, se ele pediu, temos que nos esforçar para entregar o que ele quer!

Lembre-se, claro, de sempre usar ferramentas de e-mail marketing para aquilo que o assinante tem vontade de receber, se não, é natural que ele marque como spam.

Essas são duas das dezenas de técnicas que peguei no dia a dia estudando e praticando inbound marketing. Se você quiser aprender diversas outras, dê uma olhada no meu curso de boas práticas em mail marketing.

Tech Education Leader no Alura

Próximo ArtigoComo melhorar a criatividade?