5 vantagens do Ionic para desenvolver suas aplicações mobile

(Last Updated On: 8 de dezembro de 2016)

O mercado de aplicações mobiles não para de crescer e com isso a demanda por desenvolvedores tem crescido também. Se você tem interesse em entrar nesse mercado, vai ver que tem várias opções para construir suas apps.

Uma dessas opções é o desenvolvimento com o Ionic, um framework que foi criado em 2013 e vem ganhando muito espaço dentro da comunidade.

Vou listar 5 pontos que eu acho que deve ser levado em consideração na sua escolha quando for desenvolver um aplicativo mobile.

Desenvolver utilizando HTML, JS e CSS e consegui exportar para Android e IOS

Esse tipo desenvolvimento é chamado de desenvolvimento híbrido. Você não precisa escrever na linguagem nativa do sistema operacional, você pode usar HTML, JavaScript e CSS e no final do desenvolvimento, você consegue exportar essa aplicação para Android e iOS.

Tags que facilitam o desenvolvimento

A equipe do Ionic desenvolveu várias tags que podem ser usadas para a construção das nossas telas. Além de nos oferecer velocidade na hora de desenvolver, a tag já se preocupa com o layout que vai ser apresentado no Android e iOS. Por exemplo, quando criamos um componente de tabs o Android segue o padrão de deixá-las no topo da tela, já o iOS deixa bem no rodapé. Podemos ver um exemplo na imagem abaixo:

android_ios_tabs

Quando estamos desenvolvendo com o Ionic e usando as tags que ele nos oferece, ele já cuida dessa diferença pra gente, ou seja, para obtermos o mesmo resultado como vimos acima, basta apenas escrevermos o seguinte código:

<ion-tabs class="tabs-stable tabs-icon-top" id="tabsController-tabs1">
	<ion-tab title="Agendamentos" icon="ion-clock" href="#/page1/agendamentos" id="tabsController-tab1">
		<ion-nav-view name="tab1"></ion-nav-view>
	</ion-tab>
	<ion-tab title="Fornecedores" icon="ion-android-chat" href="#/page1/fornecedores" id="tabsController-tab2">
		<ion-nav-view name="tab2"></ion-nav-view>
	</ion-tab>
</ion-tabs>

Ferramentas da próprias, como o Ionic Creator e o Ionic View

A empresa por trás do framework é bem ativa e está sempre trazendo novos produtos para poder agregar ao seu produto. Dentre os produtos disponibilidade eu destaco o Ionic View. Com ele é possível testar a aplicação que você está desenvolvendo sem a necessidade de colocar em alguma loja, como o Google Play ou a App Store, basta você instalar esse aplicativo no celular que você quer testar a aplicação e fazer o download da aplicação que você subiu para sua conta no Ionic.

Outro produto interessante é o Ionic Creator. Com ele é possível você prototipar uma aplicação de forma visual arrastando componentes e personalizando eles e após isso, você pode baixar o código da aplicação e continuar o desenvolvimento da mesma.

Muito dos serviços são pagos, mas quase sempre eles tem algum plano free para você pode testar.

Integração com o AngularJS e seus bibliotecas

Junto com o Ionic, temos uma versão do famoso framework da Google, o AngularJS. Todo o seu conhecimento de AngularJS pode ser usado para criar aplicações mobile e não só seu conhecimento é bem-vindo mas também as bibliotecas do Angular que você já usa nas aplicações web. Então caso você tenha uma biblioteca que gostou de usar e queira usar aqui, você pode.

Produtividade

Com todo esse ambiente que foi construído ao redor do ionic, a produtividade é alta. Várias tags para os componentes mais comuns em uma aplicação mobile, layout personalizado para cada plataforma é feito pelo framework nos poupando desse trabalho, várias ferramentas a seu dispor para ajudar a criar, desenvolver e testar suas aplicações e a integração com o Angular deixa esse framework cada dia melhor e mais produtivo.

Durante meu trabalho com o Ionic, foram esses os pontos positivos que achei e gostaria de compartilha com vocês, e assim agregar mais conhecimento para nós e a comunidade de aplicações híbridas que cresce a cada dia.

O que achou do Ionic? Está afim de aplicá-lo nos seus próximos projetos mobile? Então não perca tempo, dê uma olhada no nosso curso de Ionic aqui na Alura.

FIQUE POR DENTRO

  • niccolas costa

    Alguem sabe dizer se o Ionic irá permitir desenvolver utilizando Angular 2, já que hoje ele utilizar AngularJS.

    • Lazaro Prates Junior

      Oi Niccolas.
      O Ionic já tem uma versão 2, que usa o Angular 2 ao invés do Angular 1.
      Essa versão do Ionic ainda não é versão final, mas já pode ser usado.

  • Flavio Castro

    Olá, algumas perguntas.

    Como está a performance em comparação com uma aplicação web?
    Progressive web app seria uma pedia comercialmente boa?
    Colocando lado a lado com o sistema em um site é a mesma coisa?

    • Lazaro Prates Junior

      Oi Flávio.

      Acho que vc quis comparar com a uma aplicação nativa, certo? Não faz muito sentido comparar o Ionic com uma aplicação web.
      As PWA estão crescendo bastante e já tem empresas usando, mas como toda tecnologia quando está no seu “início”, devemos estuda-las antes de adotar em um software comercial.
      Eu não entendi essa sua ultima comparação. Poderia tentar me explicar melhor!?

      • Flavio Castro

        Oi Lazaro, claro.
        Bem, um amigo e eu estamos desenvolvendo um sistema de gerenciamento, tudo online, até ai tudo bem. Só que durante as pesquisas vimos que temos que ter suporte offline, isso complica muito pois em Notebooks e PC fica inviável, mas não em mobile. Queria saber, se as PWA se saem bem nesse quesito de guardar informações offline e jogar no BD depois que entrar online. E comparando o Ionic com uma PWA o que viria a ser melhor em quesito de performance e manutenção.

        Obrigado pela atenção.

        • Lazaro Prates Junior

          Oi Flávio.

          É possível sim deixar uma aplicação web off-line com ajuda dos banco de dados que os browsers disponibiliza. Esses banco de dados também são usados em aplicações com o Ionic, até pq o Ionic roda em cima de uma WebView que é muito parecido com um browser.

          Vc pode fazer esse processo com uma aplicação mobile, com uma aplicação web e também com PWA. Fica a sua escolha, não existe uma bala de prata. E performance tbm é relativo, pois depende muito do seu código e da arquitetura de deploy usado.

          • Flavio Castro

            Muito Obrigado, vou fazer com uma PWA mesmo e ver como fica, é um sistema bem simples só pra cadastrar uns animais: nome vulgar, nome científico, peso, tamanho, etc… e calcular o crescimento (peso/tamanho) caso esse animal seja visto de novo. Os Biólogos reclamam muito com a mobilidade dos notebooks na mata, e seria melhor com smartphone. Hoje eles anotam em papel, passam pra Excel, ai pra mudar tem que ficar passando de um por um o arquivo.
            Mas valeu pela dica.

  • Itamar Rocha

    Olá, Lazaro

    Qual a linguagem de programação que o ionic utilizar para o armazenamento no SQLite?
    E como seria a exportação dos dados offline para o online (Linguagem que melhor se enquadraria)?

    • Lazaro Prates Junior

      Oi Itamar. O framework SQLite utiliza o SQL para a comunicação com o banco de dados.
      Sobre os dados off-line no ionic, vc tem que trabalhar com as tecnologias que o Ionic lhe permite, como o HTML, CSS e JS(AngularJS). Assim vc pode salvar o dado off-line de alguma maneira e depois envia-los para algum servidor quando estiver on-line

    • Silvair L. Soares

      Boa tarde. Acho que o que o companheiro Itamar quis dizer, é qual tipo de tecnologia o Ionic utiliza para armazenar dados online. Se for isto, o Ionic tem uma API própria para armazenamento local, acessível atraves da classe Storage. Para mais detalhes, segue o link da documentação desta API https://ionicframework.com/docs/storage/.

  • Rômulo Rocha

    Olá, poderia explicar melhor a função do Angular com o ionic e também se tudo é feito manual ou se há algum de tipo que facilite o layout a ser criado?

    • Laécio Borges

      Olá Rômulo, tudo bem?
      Com o Ionic creator você pode fazer o protótipo do projeto e exportar os arquivos html, depois é só encaixar no seu projeto e vualá!

Próximo ArtigoA importância da capacitação para o trabalho como freelancer