A jornada para mudar de carreira

(Last Updated On: 21 de agosto de 2018)

Desde pequenos somos instruídos a escolher uma carreira. Muitas das vezes, estamos saíndo do ensino médio quando fazemos essa escolha e, algumas vezes, não temos certeza do caminho que estamos escolhendo.

Pode acontecer da carreira escolhida não nos motivar mais como antes, e aí que vem a vontade de fazer algo novo. Mudar de carreira e explorar novos horizontes. Mas por onde começar? Será que devemos realmente mudar nossas carreiras? Estudamos e dedicamos tanto tempo na profissão que estamos agora para, de repente, mudar?

Como a Marcela Santos conta em seu blog “A Jornada de Tchellita” no post “#1 mas pq você resolveu estudar inglês*?” que quando decidiu mudar de carreira várias perguntas surgiram:

… e aí bateu o pânico: por onde começar? o que fazer? o que não fazer?

Aos trinta e quatro anos, Marcela, formada em Engenharia da Computação e com um mestrado em Engenharia Elétrica decidiu viver a experiência de mudar de carreira.

Segundo ela, o planejamento é essencial para quem busca a mudança – “…O planejamento pode e deve ser a maior arma para quem quer fazer essa mudança de carreira….“.

O planejamento é importante, pois, com ele, conseguimos traçar melhor os passos para atingir nosso objetivo.

Dito isso o primeiro passo do meu planejamento foi: o que eu sei e o que eu preciso aprender para alcançar o meu objetivo. No meu caso, me tornar uma desenvolvedora e ter uma carreira nessa área fora do Brasil.

Sempre que traçamos um objetivo, seja uma viagem, ou a troca de carreira, temos que pensar nos passos, no caminho que teremos que percorrer para alcançá-lo. Algumas vezes, teremos que nos testar e enfrentar nossos medos para alcançar o objetivo final.

No caso de Marcela, ela quer se tornar desenvolvedora e ir para fora do país. Por isso, o seu primeiro passo foi aprender uma nova língua:

Então a primeira coisa que eu decidi que eu precisava aprender urgentemente era o tal do inglês. Para trabalhar em uma empresa fora do Brasil eu preciso me sentir confortável para participar de uma reunião de trabalho e conseguir expor minhas opiniões. Em outras palavras, teria que encarar esse meu medo/vergonha de falar em outra língua.

Já para o segundo objetivo, Marcela assinou os cursos da Alura e começou a participar de bootcamps no Canadá – país no qual está fazendo intercâmbio.

“Como ainda estou decidindo qual caminho seguir: front ou back end, resolvi começar com os cursos mais básico para entender a plataforma.

Fiz o curso Lógica de programação I: Os primeiros programas com Javascript e HTML. Apesar de já ter o conhecimento de lógica o curso foi bom para que eu pudesse me acostumar com o ambiente.

Em seguida fiz o curso: HTTP: Entendendo a web por baixo dos panos, que me ajudou a reorganizar conhecimentos que eu já tinha, pois como Engenheira de Computação eu já tinha estudado protocolos de comunicação mas o curso me trouxe uma visão mais direcionada para o desenvolvimento.

Agora estou finalizando os cursos: HTML5 e CSS3 I: Suas primeiras páginas da Web e Curso JavaScript: Programando na linguagem da web.

Como eu tenho conhecimento de hardware, estou desenvolvendo alguns projetos que possuem um hardware que vai ser controlado via Web, assim eu consolido meu conhecimento fazendo coisas legais como um Robô ou uma luminária que muda de cor, ambos controlados via Web.

Planejar os estudos é algo muito importante do processo. Dedicar uma parte do dia para estudar é essencial, tanto para criar um hábito, quanto para se ir se aprofundando no neste novo mundo. E o que estudar?

Em áreas como tecnologia, temos diversos campos de atuação. E quando estamos mudando de carreira, podemos pensar: que área seguir? Programação, redes, talvez algo mais voltado ao design?

Não existe uma resposta certa ou errada para essas questões. O bacana é experimentar um pouquinho de tudo. Ler posts, livros, falar com pessoas das áreas, fazer cursos. Criar mini-projetos, participar de eventos.

Aqui na Alura temos as formações. Uma série de cursos, podcasts, posts que te ensinará as tecnologias que o mercado precisa. No final, você fará um projeto que usará as tecnologias aprendidas durante o processo que será avaliado pelos nossos instrutores.

Gostou de saber sobre a jornada da Marcela? Você pode acompanhar a jornada dela seguindo seu Twitter, o Instagram e seu blog, A jornada de Tchellita. 🙂

E você já pensou em mudar de carreira? Que tal dar uma conferida nas formações na Alura? Compartilhe também suas experiências nos comentários. 😀

FIQUE POR DENTRO

Próximo ArtigoComo fazer uma cópia de uma lista no Python