Como elaborar um projeto de design editorial?

(Last Updated On: 4 de dezembro de 2017)

O design editorial ocupa um importante espaço no mercado de trabalho dos profissionais gráficos. Ele é responsável pela construção visual de livros, jornais e revistas.

Uma área tão ampla e importante demanda profissionais atualizados e criativos para o desenvolvimento de projetos gráficos atraentes e eficientes. Se você é um designer — ou pretende ser —, pode ganhar muito com o mercado editorial.

Por isso, preparamos este post com algumas dicas para elaborar um projeto de design editorial de sucesso. Confira:

Faça as pesquisas necessárias

O 1º passo para desenvolver um design editorial eficiente é conhecer o cliente e o seu público-alvo e projetar para eles. Por isso, não tenha receio de fazer uma pesquisa detalhada.

Seja para um trabalho novo ou reestruturação de publicação já existente, é essencial fazer um briefing para entender as necessidades do cliente e da sua audiência.

Conhecer o perfil dos principais leitores, os seus interesses e os seus desejos facilita na hora de construir o projeto de design editorial.

Acompanhe as tendências de design

Outro ponto importante é conhecer as tendências do mercado de design. Como em todos os setores, existem os ciclos de mudanças visuais.

Por mais que seja importante respeitar a identidade do cliente e as preferências do seu público, as tendências do momento devem ser consideradas. Afinal, elas darão um toque de atualidade e de modernidade ao material.

Por isso, não deixe de pesquisar o mercado e fique sempre atento às novidades do Brasil e do mundo. Quanto mais repertório visual você tiver, melhor será o resultado do seu projeto de design editorial.

Crie uma hierarquia

Ao colocar a mão na massa e iniciar o projeto de design editorial, um dos primeiros fatores a serem considerados é a hierarquia. Isso significa entender que algumas partes do conteúdo são mais importantes do que outras e que, por isso, merecem destaque.

Essa definição será demonstrada por meio do tamanho das fontes, da organização das imagens e dos blocos de destaque. As áreas em evidência servem como pontos de atenção e guias para o olhar do leitor.

Esses cuidados devem ser aplicados tanto nos projetos impressos quanto nos materiais para web.

Tome cuidado com as fontes

O mercado disponibiliza uma variedade quase que infinita de fontes para os designers gráficos. Entretanto, nem todas são adequadas para o uso editorial.

É preciso considerar o volume de texto e procurar um tipo que facilite a leitura, deixando o visual leve e agradável. Nesses casos, as fontes serifadas costumam ser mais eficientes, especialmente em projetos impressos.

Já para as versões digitais, é possível considerar as fontes sem serifa para o corpo do texto.

A dica é simples: teste! Faça protótipos e visualize no navegador ou imprima, conforme o caso. Analise a qualidade e peça a opinião de outras pessoas.

Faça alterações até encontrar a fonte e o tamanho certo para deixar a leitura confortável e atrativa.

Além disso, é interessante respeitar as boas práticas de design e evitar o uso de mais de 2 fontes no projeto. O ideal é ter um tipo para os títulos e outro para o corpo. Isso ajuda a criar uma identidade visual para a publicação e transmitir o conteúdo com mais clareza.

Preste atenção ao alinhamento

Os textos podem ser alinhados à esquerda, à direita, centralizados ou justificados. Não existe uma regra que diga o que é certo e o que é errado: tudo vai depender da necessidade do seu projeto de design editorial.

O alinhamento justificado é o mais comum e também o mais formal. Ele permite que as colunas fiquem bem separadas visualmente. O cuidado aqui deve ser o uso da hifenização correta para que não fiquem “buracos” na diagramação.

Apesar da opção justificada ser mais comum, cresce o uso de textos alinhados à esquerda, especialmente para a web.

Você pode definir diferentes alinhamentos para áreas específicas. As caixas de destaque, por exemplo, podem se diferenciar com texto centralizado. O importante é manter o padrão estabelecido em toda a publicação.

Garanta o bom espaçamento

Esse é mais um mantra do design gráfico: não tenha medo do espaço branco! Deixar uma área para o conteúdo “respirar” é essencial. Por isso, não caia na tentação de acumular muita coisa em uma só página.

É preciso respeitar o espaço entre as colunas, as linhas, assim como entre o texto e as imagens. São essas quebras visuais que garantem a clareza do conteúdo e ajudam a tornar a leitura mais agradável.

Lance mão dos grids

Todos os detalhes de caixas de texto, tamanho das colunas e das imagens devem ser definidos em um grid. Ele é um esqueleto padrão da sua publicação e deve ser mantido em todo o projeto.

Você até pode apresentar algumas variações de número de colunas por páginas, por exemplo, mas isso deve se justificar por uma mudança importante no conteúdo.

Na construção do grid é que você vai prever os espaços livres, a área destinada às imagens, aos gráficos e aos textos. Por isso, tenha paciência e seja bastante detalhista nessa etapa.

Faça testes, na quantidade que for necessária, para garantir o melhor resultado.

Invista em imagens

As imagens são componentes essenciais de qualquer publicação. Um bom projeto de design editorial conta, necessariamente, com belas fotos e gráficos.

Se o cliente não possui fotos próprias, é útil contar com um banco de imagens. Existem opções pagas e gratuitas — o importante é escolher o que mais se adapta à realidade do projeto.

Independentemente da maneira como as fotos chegam até você, a sua preocupação deve ir além do visual. As imagens precisam ter resolução adequada ao seu uso, seja ele impresso ou digital.

Poucas coisas são tão prejudiciais a um projeto de design editorial quanto imagens de baixa resolução, distorcidas ou mal tratadas. Por isso, o cuidado na etapa de manipulação e de fechamento de arquivos é essencial.

Garanta uma exclusividade

Como falamos na 1ª dica, é importante que o projeto de design editorial seja adequado à identidade do cliente e às necessidades do público-alvo. Logo, fica fácil imaginar que copiar outra publicação não é nada interessante, certo?

Invista em um projeto visual exclusivo: é a melhor maneira de conseguir a diferenciação no mercado e o destaque entre os concorrentes. Mas isso não quer dizer que você precise de recursos totalmente inovadores em cada projeto.

Aposte nos elementos gráficos e nas cores para construir uma identidade única para o seu trabalho.

Conheça as ferramentas para design editorial

Por fim, você precisa de conhecimento técnico para poder executar os conceitos de design definidos para o seu projeto. As ferramentas são o meio pelo qual todas as ideias são colocadas em prática.

Você pode, por exemplo, procurar por cursos para aumentar as suas habilidades no InDesign. Outra opção é investir no seu conhecimento de programas como o Photoshop, que é uma ferramenta  importante para garantir o melhor resultado no tratamento de imagens.

O mercado do design editorial é amplo e cheio de oportunidades. Se você deseja fazer parte dele com sucesso, não deixe de buscar sempre por atualização profissional.

E quando falamos em design editorial, [uma poderosa ferramenta para utilizarmos na produção dessas peças é o famoso InDesign](https://www.alura.com.br/curso-online-introducao-ao-indesign), que conta dom diversos recursos focados especialmente para esta atividade de diagramação. 😉

FIQUE POR DENTRO

Próximo ArtigoComo o design thinking é aplicado como ferramenta estratégica nos negócios?