Como otimizar o aprendizado durante a faculdade

Há alguns anos atrás eu estava entrando na faculdade, no caso para cursar Sistemas de Informação, e me deparei com uma infinidade de assuntos diferentes para estudar: Sistemas Operacionais, Programação, Redes, Engenharia de Software, Empreendedorismo e várias outras possibilidades interessantes.

Com isso, muitas vezes me encontrava perdido no que deveria focar os estudos. Isso aconteceu com você também?

Conheça as suas opções

O primeiro ponto fundamental que precisamos entender para que seja possível tirar o máximo de proveito de uma faculdade ou universidade é o papel que ela desempenha na nossa carreira e esse papel é justamente de te apresentar todas as opções que você tem disponíveis.

Ao fazer um curso de Sistemas de Informação, não significa que você será um “Empreendedor Desenvolvedor Engenheiro de Software Especialista em Arquitetura de Computadores” e o mesmo vale para outros cursos.

Na verdade, nesse momento você precisa é conhecer as possibilidades que você terá e saber qual é a sua aptidão e interesse para cada uma dessas possibilidades.

Determinada matéria ou assunto, pode chamar mais a sua atenção do que outro. Esse é um indicativo de qual caminho que mais lhe agrada para a sua carreira, e também, que você talvez possa focar. Se você está ou já esteve na faculdade, tente fazer o seguinte exercício:

Identifique as matérias que mais te interessam e veja se elas se alinham com o que você quer para a sua carreira.

Organize-se para se aprofundar

Agora que você já sabe quais assuntos mais te chamam a atenção, você pode decidir focar um pouco mais nas habilidades dentro deles. A graduação irá te dar uma excelente base, mas você vai precisar ir além por conta própria e se aprofundar.

Por exemplo, se você decidiu que quer focar em programação e na faculdade aprendeu Java e Orientação a Objetos, agora se aprofunde nesses assuntos. Aprenda algum framework, estude testes automatizados, boas práticas de orientação a objetos e design patterns, por exemplo.

No meu caso específico, durante a faculdade decidi que queria me especializar em Java, então comecei a estudar alguns frameworks e também para prova de certificação.

É fundamental que você tenha seu próprio objetivo do que quer aprender e que depois corra atrás desse objetivo.

Por fim, organize-se para estudar tudo o que precisa aprender. Monte seu próprio calendário de estudos, conciliando o que já é necessário estudar para a sua graduação com o que você gostaria de se aprofundar.

Nessa época eu sempre tinha duas horas disponíveis no deslocamento de ônibus, então aproveitava essas duas horas, todos os dias, para estudar para a certificação. Tente encontrar esses espaços disponíveis no seu dia a dia, nem que seja de 5 minutos.

Parceria entre a Alura e instituições de ensino

Recentemente eu estive na Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo, falando para os alunos ingressantes justamente como tirar o máximo da graduação e como agregar isso às respectivas carreiras. Veja só o quão bacana foi:

Essa conversa foi muito proveitosa e fruto de uma parceria firmada com a instituição de ensino.

Caso você seja professor ou aluno de um curso de graduação e tenha interesse de conversar conosco sobre uma eventual parceria, basta nos enviar um e-mail no contato@alura.com.br contando um pouco sobre a sua instituição e suas aulas.

Fique por dentro

(Última atualização em: 4 de abril de 2017)

  • Flavio Castro

    Curso Tecnólogo serve? kkkk

    Olha eu já passei por muita coisa… Fiz 3 anos de direito, ai quando comecei a estagiar vi que não era o que esperava. Então mudei pra engenharia da computação, queria mexer com redes e tal, então na primeira semana eu conheci o C, fiquei maravilhado com a mágica… Logo mudei para ADS (Analise e Desenvolvimento de Sistemas), mas ai descobri o Ruby, JS, Mongo e toda as maravilhas da Internet. Hoje faço SI (Sistemas para Internet). Meu foco total está em JS e seus derivados como, Node, React, etc… e agora as PWA (Progressive Web Apps).

    Bem levou uns anos, com amigos formados em engenharia, arquitetura, direito, amigos formando em medicina. E eu só tenho um site em HTML, CSS e um pouco de JavaScript.

    Mas quando tu faz o que gosta nem é trabalho.

    • Muito legal a história, Flavio. E é bem por aí mesmo, quando você gosta do que faz você não está trabalhando e você foi descobrindo o que gosta na faculdade e descobrindo o que as áreas tinham de opções a te oferecer.

      Muito bom mesmo. Sucesso na carreira por aí 🙂

Próximo ArtigoVeja como vender os seus serviços de freelancer