Conheça os criadores do Decifre o livro

Se você esteve antenado durante esses dias, provavelmente soube da notícia do jovem Bruno de Melo Silva Borges que desapareceu no Acre. Neste caso o jovem deixou diversas mensagens criptografadas com símbolos, “textos” e objetos.

Entretanto, o diretor da Antecipe (startup de segurança da informação) Igor Rincon, e o líder de desenvolvimento, Renoir dos Reis, ambos alunos da Alura criaram o site Decifre o livro com o objetivo de descriptografar as mensagens codificadas pelo rapaz desaparecido. Incrível, né? 🙂

Além de sabermos dessa notícia, tivemos a oportunidade de bater um papo com o Renoir dos Reis e falamos sobre como foi criar o Decifre o livro, isto é, fizemos algumas perguntas sobre como tiveram a ideia de criar o site, como também, como eles chegaram nesse resultado. Quer saber como foi? Então bora descobrir!

Olhando apenas as imagens na TV, não havia dificuldade?

Sim, inclusive esse é o maior desafio da nossa comunidade, o pessoal tenta pegar os frames dos videos e melhorarem a qualidade.

Embora a ideia tenha partido deles, veja que temos também uma grande colaboração da comunidade! Um trabalho e tanto! Mas por que será que eles criaram esse site? É hora de entedermos seus motivos.

Por que criaram o Decifre o livro?

Meu sócio Igor Rincon começou a traduzir um texto e logo eu fiquei bastante intrigado com aquilo.

Quando vi que começamos a formar um alfabeto me veio o desafio de criar um teclado que transformava aqueles códigos em um texto legível para humanos.

Com isso poderíamos fazer com que a comunidade acelerasse o processo de decodificação e trabalhasse apenas no que falta ao invés de cada um tentar decifrar o que já foi decodificado.

Veja que, mesmo a troca dos caracteres parecer uma tarefa simples, eles tiveram que implementar tudo isso. Como será que a implementação foi realizada? Vamos descobrir o que está por de baixo dos panos!

O que usaram no site do Decifre o livro?

Inicialmente utilizamos bootstrap cruzão com ecmascript 6, sempre tentando aplicar o que eu aprendi nos curso de avascript avançado da Alura (o qual eu ainda não terminei), a grande sacada foi liberar o código para a comunidade, o que fez com que o desenvolvimento fosse bem ágil e a melhoria do sistema foi exponencial.

O que achou da história de Igor e Renoir? Muito banaca, né? Compartilhe conosco nos comentários!

Mas não podemos esquecer que estamos em um caso grave que envolve o desaparecimento de um jovem, portanto, esperamos que o Bruno seja encontrado o quanto antes e sua família seja amparada.

Fique por dentro

(Última atualização em: 18 de abril de 2017)

Content Editor at Alura and Software Developer

  • Iago Cavalcante

    Seria curso de javascript avançado da Alura, na resposta da pergunta, “O que usaram no site do decifreolivro?”.

    • Alex Felipe

      Opa Iago, blz? São justamente os conceitos do ecmascript 6 visto no nosso curso avançado que eles usaram no projeto. Esse curso foi divido em 3 e focamos bastante nas novidades do JS a partir dessa nova implementação, como é o caso da definição de classes, template string, arrow functions e mais algumas boas práticas que facilitam o desenvolvimento com JS.

      Abraços.

      • caiozf

        Tem um erro de digitação na pergunta.
        Estou fazendo esse curso e ele é muito bom, Flavio Almeida tem uma otima didática, estou aos poucos me apaixonando por Javascript, quero fazer as 3 partes pra ter uma base sólida e depois estudar algum Framework

        • Alex Felipe

          Opa Caio, vlw por avisar

  • Laudelino Amaral

    Interessante.
    O fato dele ter escrito em forma e de maneira não cursiva, adiantou muito.
    Eu também desenvolvi um alfabeto próprio nos anos 80 e com o tempo aprendi a ler e escrever cursivamente. Confesso que o desafio seria muito maior. Se toparem a título de estudos, poderia entregar um parágrafo para análise.

Próximo Artigo7 leituras bacanas para quem quer entrar na área de TI