O que pode significar a taxa de conclusão?

(Last Updated On: 28 de dezembro de 2016)

O curso mais popular do mundo tem taxa de conclusão de cerca de 20%. E os outros 80%? Desistem no meio.

No começo dos cursos de Harvard online, entre 5 e 20% dos alunos concluem o curso. O resto? Desiste bem antes de chegar na metade dele.

Estimativas dizem que, em média, menos de 10% dos estudantes de MOOCs terminam o curso.

Terminar um curso está ligado com diversos fatores.: o curso é bom? O curso é útil? O professor é bom? A didática é boa? O conteúdo é interessante? O tamanho é ideal?
São centenas de detalhes que tentamos atacar nos diversos treinamentos internos que o Guilherme Silveira criou para nossos instrutores aqui da Alura. Não é a toa que ele é o chato que cobra todo mundo (:

E qual o resultado desses treinamentos para os nossos professores e alunos? Altas taxas de conclusão. 85% de nossos alunos concluem pelo menos um curso, com uma média de 8 cursos concluídos por aluno – média!

Quais os cursos com a maior % de conclusão?

Entre os cursos de Java, por exemplo, sem dúvida alguma o de Primeiros passos e Orientação a Objetos se destacam bastante nesse critério. Assim como o de Fundamentos da linguagem e Orientação a objetos em C# e o de JQuery no JavaScript.

Aqui vai um exemplo de 10 cursos na Alura:

Legal, não é?

Agora a pergunta é: o que pode significar uma taxa de conclusão?

A explicação é simples: alguns alunos estão preocupados em terminar o curso para receber o certificado. Justo, neste caso esperamos e desejamos que ele conclua. Outros alunos querem aprender o conteúdo e passar para a frente. Também é justo, e nem sempre eles precisam ir até o fim do curso, ele pode parar quando sentiu que foi o suficiente e partir para o próximo, também ficamos felizes.

De qualquer maneira, não deixamos que a peteca caia, queremos taxas de conclusão altas e que os alunos saiam satisfeitos, prontos para um próximo aprendizado. Acompanhar e entender essas estatísticas é muito importante para nós, o mais importante é manter o aluno crescendo sempre em sua carreira.

E você, quais cursos já terminou no Alura? Costuma fazer até o fim ou ir pulando em assustos específicos?

Fique por dentro

  • Alan Soder

    Temos que ver o que vocês consideram “conclusão”.

    Por exemplo, estou fazendo os cursos de php para poder utilizar as dicas e o conhecimento para desenvolver um trabalho da faculdade. No meu caso os exercícios propostos não fazem diferença, uma vez que são um espelho dos vídeos.

    Eu vou considerar “completo” a partir do momento que vi todos os dos vídeos e consegui aprender ( e utilizar) o que foi ensinado.

    Para mim, o conhecimento obtido é muito mais importante do que um certificado, e só farei os exercícios para pegar o certificado ( só que talvez não farei no mesmo momento das aulas).

    Bom, essa é minha opinião 🙂

    • Rodrigo Turini

      Oi Alan.

      Perfeita a conclusão. Foi exatamente pensando em casos como esse que eu comentei no post que nem sempre o aluno precisa ir até o fim do curso… ele pode parar quando sentiu que foi o suficiente e partir para o próximo, pois também ficamos felizes.

  • Paulo Roberto Clemente de Castro

    Creio que a maior parte dos alunos não tem paciência/interesse de revisar conceitos. Muitas vezes assisto as aulas de assuntos que “tecnicamente já domino”, pois sempre há a oportunidade de agregar algum detalhe desconhecido.
    Uma coisa que aprendi ao longo da minha não tão longa experiência profissional, é que em nossa área, os profissionais que dominam os detalhes, fazem plena diferença em pontos críticos do projeto.

    • Rodrigo Turini

      sem dúvida alguma, Paulo. Dominar e se importar com os detalhes faz muita diferença!

      E hora ou outra, é importante olhar pra trás e revisar conteúdo. Não existe uma abordagem de estudo/revisão que seja efetiva e funcione 100% pra todos, claro. Cada um tem um processo, uma facilidade e recomendamos bastante que experimentem diferentes métodos de estudo pra encontrar o ideal pra vocês.

      O importante é nunca parar, sempre continuar estudando, aprendendo, ensinando e evoluindo (;

Próximo ArtigoO papel da documentação de software nas metodologias ágeis