Diagrame como um profissional: veja 7 hacks para o Indesign

Certamente você já sabe que trabalhar com diagramação usando o Adobe InDesign é uma das melhores alternativas para a criação de livros, revistas, folhetos, e-books, aplicativos e outros tipos de documentos com altíssima qualidade. Mas, você sabia que o seu trabalho pode ser facilitado? Para isso é que existem os chamados InDesign hacks!

No post de hoje, apresentaremos 7 hacks que podem ser aplicados no InDesign para aperfeiçoar os seus conhecimentos práticos e realizar projetos ainda melhores. Vamos começar?

1. Criando o seu próprio ambiente de trabalho

A interface padrão do Adobe InDesign, assim como em outros produtos da linha, pode ser customizada definitivamente pelo usuário.

Todos os elementos — painel, barra de controle, caixa de ferramentas, etc. — são distribuídos no ambiente de trabalho de forma a torná-lo compatível com sua rotina de trabalho.

Como fazer?

O procedimento é simples: basta modificar o ambiente conforme a sua preferência. Em seguida, vá em Window > Workspace > New Workspace; crie um nome para o seu novo ambiente e dê OK. Pronto!

2. Aplicando a cor preta corretamente

Esse hack pode parecer um pouco confuso, porém, temos certeza que até quem é menos detalhista — ou nem mesmo trabalha com imagens — já notou o impacto que a escolha certa do preto causa.

Imaginemos um cartaz com uma grande área de preto e que está exposto ao ar livre. O seu fundo já está desvanecido, com uma cor mais próxima do cinza (preto fosco), indicando que algo no pôster está inadequado.

Ao ler o conteúdo do cartaz, percebemos que há um outro problema: os textos adquiriram uma mistura de cores além do próprio preto. Assim como o problema no background, isso também se deve à má escolha do preto.

Como resolver?

O preto que preenche os fundos ou a própria imagem deve ser aplicado em sua configuração composta (preto chapado), usando o sistema de cores subtrativas (CMYK – Cyan, Magenta, Yellow & Black (Key)). Um exemplo de como formar a cor é usando Cyano (30%) e Black (100%).

No caso do texto, é imprescindível usar o preto puro (K 100%) para evitar que o problema aconteça e assim preservar a integridade das cores impressas.

3. Usando os recursos Find / Change

Trabalhar com uma significativa quantidade de texto é algo comum para muitos profissionais que usam o InDesign. Editar manualmente um livro com centenas de páginas, incluindo notas de rodapé, glossários e tudo mais, é um compromisso bastante ingrato, porém, com uso do Find / Change ele é simplificado.

Como usar?

Pressione o atalho “Ctrl + F” (Edit > Find) e digite o termo que pretende editar. Em seguida, digite o trecho a modificar ou dê o famoso “Ctrl + C” seguido do “Ctrl + V” e, logo abaixo, faça a alteração — ela se aplicará a todas as repetições do mesmo termo.

Para atualizar nomes, termos e palavras em decorrência de erros ortográficos ou adaptação para uma nova norma vigente, o Find / Change presta um auxílio e tanto!

4. Visualizando as impressões

O InDesign não tem por padrão a funcionalidade “disponibilizar a visualização da impressão” (preview). Ter uma perspectiva de como o layout ficará após o conteúdo ser impresso é fundamental para evitar falhas e desperdício de tempo / material.

O que devo fazer?

Acesse o menu View > Extras > Hide Frame Edges ou digite a tecla “W”. Simples!

5. Criando camadas (layers)

Imaginemos que você ficou responsável pela elaboração de folhetos promocionais que serão distribuídos em três diferentes regiões do país. Em cada região o folheto deve anunciar diferentes conteúdos — preços e condições de pagamento, por exemplo.

Como o layout será o mesmo, em vez de tratar cada imagem isoladamente, você poderá usar camadas para economizar tempo construindo em um só arquivo.

Para trabalhar com camadas, acesse o menu “Window” e selecione “Layers” ou simplesmente use o F7.

6. Conhecendo o Story Editor

Editar parágrafos quando o conteúdo de várias páginas já se encontra formatado pode ser inconveniente, principalmente quando se precisa mexer em um bloco de texto que está posicionado verticalmente ou alterar a cor da fonte — não é possível pré visualizar a alteração da cor quando o procedimento é feito convencionalmente.

O Story Editor é um excelente utilitário do InDesign para realizar edições desse tipo, pois ele permite que o texto seja aberto em uma nova caixa e editado com segurança. Além disso, toda alteração feita é aplicada automaticamente e pode ser rapidamente desfeita.

Dentre outras funcionalidades, o Story Editor facilita a inserção de comentários, hyperlinks, notas, variáveis, referências e muito mais.

Para abrir o editor, basta teclar Ctrl + Y.

7. Trabalhando com layouts dinâmicos

Quando se trabalha com textos e imagens no InDesign, é natural que o usuário queira que as fotos / vetores acompanhem o texto conforme o mesmo seja ampliado ou reduzido. Com isso é gerada uma frustração, pois, por padrão, as coisas não funcionam assim na prática.

Usar layouts dinâmicos é uma das InDesign hacks mais úteis para esses casos e pode ser a solução para a sua dor de cabeça. Por meio de um layout dinâmico, todas as imagens “descem” na medida que cresce o número de linhas do texto e “sobem” quando esse número decresce.

Como fazer?

Vamos supor que as imagens, localizadas abaixo de um bloco de texto tenham que acompanhar o parágrafo.

O primeiro passo será acessar o menu “Object” e selecionar a opção “Text Frame Options” (ou usar o atalho Ctrl + 3). Clique na aba “Auto-Size” e você identificará uma barra indicando que a função está desabilitada (Off). Nessa mesma barra, selecione a opção “Height Only”.

Observação: existe um pequeno quadro desenhado logo abaixo da barra de opções, contendo nove ângulos e posicionamentos. Selecione o topo — no caso, os pontos superiores no centro do quadro. Feito isso, clique em “Ok”.

Em seguida, use a ferramenta de seleção e selecione as imagens, localize o quadrado preenchido em azul e arraste-o para a região do texto que será o “ponto de partida” para a nova regra de posicionamento.

Clique com o botão direito do mouse sobre o conteúdo que selecionou, vá em “Anchored Objects” e a seguir em “Options”. Na tela que acabou de abrir, localize o recurso “Reference Point”, em “Anchored Object”, e selecione o ponto no canto superior esquerdo.

Para finalizar, localize na mesma tela o “Anchored Point” > “X Relative To” > “X Offset” e reduza o valor para “0”. Em “Y Relative To”, selecione (na barra de menu) a opção “Text Frame” e, na caixa “Y Offset”, reduza o valor para “3p”. Marque a caixa “Prevent Manual Positioning” e dê “Ok”. Pronto!

Pronto para usar os InDesign hacks que aprendeu?

Os InDesign hacks facilitarão a sua rotina profissional em diversas ocasiões, portanto, aproveite o momento para começar a praticar e explorar a fundo suas funcionalidades. Dessa forma você reforçará o aprendizado e adquirirá uma experiência mais rica.

Curtiu as dicas? Mostre o que você aprendeu para seus amigos ou ao seu chefe (por que não?), compartilhe este conteúdo nas redes sociais!

Fique por dentro

(Última atualização em: 12 de junho de 2017)

  • Thiago Lima

    Legal o post. Acrescentando informação ao item 2, é muito importante configurar a aparência do preto no Indesign, em “Configurações > Aparência do preto”.
    O InDesign vem configurado para exibir e exportar o preto como “Rich Black” (Preto Rico), que é formado pelos 4 canais CMYK. Isso causará problemas em impressões como offset, por exemplo.
    Sugiro que todos troquem para a exibição e exportação precisa do preto, e utilizem a combinação sugerida C =30, k=100 para gerar um preto um pouco mais denso em seus impressos.

    • Leticia Ozono

      Oi, Thiago! Muito legal essa sua dica também! Obrigada pelo feedback 😉

Próximo ArtigoDesafio JavaScript entre duas amigas