Entendendo os padrões de Wi-Fi

(Last Updated On: 25 de outubro de 2017)

Estava em um sala aqui na Alura com o meu notebook. Quando mudei de sala, meu notebook não se conectava ao Wi-Fi dessa sala, mas o de todos os outros sim… Por que só o meu não conecta? :’(

Podemos pensar que é algum problema com a minha placa de rede sem fio, porém estou conseguindo listar outras redes e conectar a elas. Apenas essa rede não é listada e nem consigo me conectar.

Então, por que eu não consigo me conectar?

As redes sem fio têm diferentes especificações, isto é, cada rede funciona sobre um padrão (ou mais de um) específico. Caso no local exista um padrão que a rede não reconheça, não existirá conexão.

Para resolver meu problema, preciso antes entender quais são esses padrões.

Entendendo os padrões de Wi-Fi

Existem alguns padrões de rede sem fio como: 802.11a, 802.11b, 802.11g, 802.11n. Cada um funciona sobre uma frequência diferentes, alguns na faixa de 2,4 GHz (Gigahertz), outros na faixa de 5 GHz. Se essas frequências forem diferentes uma rede não consegue ver a outra.

Mas, bem, vamos falar desses padrões…

O padrão 802.11a e sua grande velocidade

O padrão 802.11a consegue atingir uma velocidade de transferência de 54 Mbps, e trabalha com uma frequência de 5 GHz

Contudo, por conta de sua frequência, os dispositivos que utilizam esse padrão têm um preço maior do que o seu padrão irmão (o 802.11b). Por esse motivo, essa tecnologia foi pouco adotada, principalmente em redes domésticas.

Sua frequência também tem um impacto em dispositivos móveis. Como esse padrão tem uma maior frequência, o consumo de bateria é maior.

O popular 802.11b

Devido ao seu preço ser mais baixo, o padrão 802.11b foi, e ainda é, muito mais usado que o anterior, principalmente em redes domésticas, entretanto, sua velocidade é menor que a anterior, alcançando 11 Mbps.

Sua frequência também é menor que a anterior, fica na faixa de 2,4 GHz. Logo, ele consome menos energia que o anterior, o que significa uma economia de bateria para dispositivos móveis.

Muito bem, ele não consome muita bateria e é mais barato, mas além da velocidade, esse padrão tem algum ponto negativo?

Esse padrão também tem alguns inconvenientes, entre eles:

  • Por trabalhar em uma frequência diferente do padrão 802.11a, os dois são incompatíveis;
  • Essa frequência é a mesma de outros aparelhos domésticos, como telefones sem fio e microondas, o que causa interferências no sinal.

Mesmo assim, essa tecnologia foi bem aceita, tanto que algum tempo depois foi desenvolvida outra que visava manter esses benefícios e trazer algo mais: uma velocidade de transferência maior.

Surge o 802.11g

Visando manter os benefícios do padrão 802.11b, , foi criado o padrão 802.11g. Assim como o anterior, ele trabalha na faixa de 2,4 Ghz, o que gera uma economia de bateria em relação ao 802.11a, e traz uma velocidade de 54 Mbps assim como este.

Por ter a mesma frequência que o 802.11b, uma tecnologia é compatível com a outra e, por consequência, possui os mesmos problemas relacionados a interferência do sinal.

Analisando a velocidade desse padrão você pode estar se perguntando:

“As redes sem fio não conseguem passar dessa velocidade de transferência?”

Com as tecnologias de antigamente, não, porém nos dias de hoje lançaram outro padrão: o 802.11n.

O rápido 802.11n

Esse padrão consegue atingir uma velocidade de até 300 Mbps. Contudo, esse não é seu único diferencial em relação aos outros:

  • O alcance do sinal é melhor;
  • Seu sinal é mais estável;
  • Compatível com outros padrões.

Tudo isso graças a uma tecnologia chamada MIMO. Essa tecnologia permite ter múltiplas entradas e múltiplas saídas para os dados. Com ela, aumentamos a velocidade do Wi-Fi, seu alcance e estabilidade. Esse padrão também tem compatibilidade com os padrões anteriores.

Alguns roteadores têm a opção de escolher em qual padrão trabalhar, outros podem trabalhar em mais de um modo ao mesmo tempo. Sabendo disso, podemos ir até a configuração do Wi-Fi e escolher aquela que melhor nos atende atende.

Nesse caso, podemos escolher entre os padrões b, g, ou n. Existem também modos onde teremos dois, ou até os três padrões rodando ao mesmo tempo.

Para saber mais

Além desses padrões, existem alguns outros. Cada um especifica algo para os Wi-Fi, como, por exemplo, a segurança.

Existem alguns dispositivos, como a maioria dos celulares e laptops por exemplo, que suportam diferentes tecnologias Wi-Fi (a/b/g/n/ac).

Apesar dos dispositivos sem fio terem essas velocidades máximas, dificilmente eles a atingem por causa de alguns problemas como overhead.

Problema Resolvido!

Não conseguia conectar meu laptop na rede sem fio de outra sala aqui na Alura, vimos que a causa disso era a incompatibilidade entre os padrões.

Entendemos o que são os padrões, como eles funcionam, suas velocidades de transferência e como colocar o roteador para aceitar mais de um padrão.

E ai? O que achou? Conhecia esses padrões, ou problemas que a afetam redes sem fio? Compartilhe conosco nos comentários.

Gostou de saber sobre Wi-Fi? Essa é só uma pequena parte do vasto mundo de redes. Aqui na Alura temos uma formação em redes de computadores. Nela você aprenderá sobre os conceitos e como montar uma rede corporativa, com tecnologias como VLans e IPv6, além de técnicas de segurança.

FIQUE POR DENTRO

Próximo ArtigoHábitos: Como melhorá-los