Guia do sucesso: por que você precisa investir em capacitação profissional na área de tecnologia?

(Last Updated On: 11 de janeiro de 2017)

Que o mercado de trabalho tem mudado por causa da tecnologia, você já deve saber. Nos últimos 20 anos, pelo menos, ela se tornou um grande diferencial competitivo e aumentou a importância da capacitação profissional, principalmente para quem trabalha mais diretamente com as inovações.

O que quase ninguém comenta é o quanto as pessoas também mudaram com essa modernização.

Se é por causa dela que todos temos de passar por aprimoramento profissional, é também ela o fator que simplifica esse aprimoramento e pode te transformar não apenas em um profissional de tecnologia melhor, mas em uma pessoa mais produtiva, dinâmica e proativa, no geral.

Neste texto, vamos te dar bons motivos para investir na sua capacitação profissional e aprimorar não apenas a sua capacidade de trabalhar, mas também de ser criativo no trabalho e viver melhor com a tecnologia.

Pronto para aprender sobre novas tendências, ferramentas importantes e entender por que o Ensino a Distância (EAD) revoluciona o mercado profissional e pessoal, interferindo até mesmo na busca por melhores empregos e na competitividade? Então siga a leitura até o fim!

1. Estar por dentro das tendências do mercado de tecnologia

A primeira necessidade que o mercado de trabalho dos dias de hoje coloca é a de nos atualizarmos constantemente.

Afinal, as novidades não param: quase todos os dias há novos aparelhos, softwares e soluções desenhadas para deixar a vida e o trabalho das pessoas mais práticos. Isso significa mais comodidade, mas também pode deixar muitos profissionais perdidos.

Afinal, como é que você vai escolher, dentre tantas opções, as melhores ferramentas para executar suas tarefas profissionais? Esse é um bom exemplo de como precisamos aprender a lidar produtivamente com as tendências do mercado de tecnologia.

1.1 Tecnologia muda pessoas e pessoas mudam o trabalho

O desenvolvimento tecnológico imprimiu uma velocidade muito grande de transformação na sociedade. E quando dizemos sociedade, não queremos dizer apenas mercado de trabalho, mas, principalmente, pessoas.

Use a si mesmo como exemplo: quando você compra alguma coisa, hoje em dia, são grandes as chances de que faça isso direto do seu computador.

Por meio dele, você pesquisa um novo produto, compreende seus benefícios e limitações e até colhe opinião de gente que já comprou. As vendas pela internet aumentam a cada ano, e você se assustaria de saber quanta gente já escolhe e compra um produto direto do celular, sem nem mesmo usar um computador de mesa ou notebook.

Tantas facilidades e transformações têm uma consequência principal: tornar o consumidor mais exigente. E se o consumidor fica mais exigente, o mercado de trabalho também fica. Afinal, serão necessárias pessoas mais qualificadas nas empresas para atender a esse novo tipo de consumidor.

O resultado disso é que as empresas adotam um modelo de marketing mais qualificado (e substituem o marketing tradicional pelo digital, mais barato e funcional), um processo de venda mais atento à necessidade dos clientes e todos os serviços acabam precisando ser aprimorados.

E sabe como isso chega até você? Simples: todas essas mudanças acirram a concorrência no mercado de trabalho e aumentam a importância da capacitação profissional e tecnológica, transformando-a em um diferencial precioso para o primeiro emprego.

Para responder a essas necessidades, a primeira coisa que você deve fazer é se manter atualizado.

1.2 Novas habilidades são valorizadas

Quer mais um exemplo de mudança que ocorre por causa das novas tecnologias? Mais do que qualquer outra coisa, o trabalho freelancer vem sendo cada vez mais valorizado.

Uma boa parte das tarefas das empresas que mais crescem no país é desempenhada por esse tipo de autônomo, que costuma responder melhor a mudanças, ser mais independente e gerar menos custos empregatícios.

Mas, não é só pelos freelancers ganharem melhor e gerarem menos custos que o trabalho deles vem crescendo.

A verdade é que as pessoas que trabalham por conta própria, muitos deles de casa mesmo, costumam apresentar algumas das qualidades mais valorizadas pelas empresas nos dias de hoje. Eles são dinâmicos, bem informados e, principalmente, proativos e independentes. Antigamente, as instituições adotavam modelos de equipes muito pouco proativas e que apenas executavam o que era proposto pelo chefe.

Nesses tempos de mudanças constantes, o perfil do “funcionário ideal” mudou muito. Ele passou a ser aquele que sabe cumprir o que é exigido, mas que questiona regras e propõe soluções que façam mais em menos tempo e gastando menos.

Esse novo colaborador pensa por si próprio, participa nas decisões da empresa e tem um senso de trabalho em equipe muito grande. O sonho de todo empresário é que todos os membros do seu time tenham espírito crítico e que cada um entenda bem o todo da empresa, de forma que suas opiniões contribuam pra melhorá-la.

Se o que você busca é um diferencial competitivo, fique de olho nessas novas habilidades. Não pense nelas como qualidades com as quais as pessoas nascem. Elas podem e devem ser treinadas no dia a dia, em casa ou no trabalho.

1.3 Novidades devem ser acompanhadas

Designers, profissionais de marketing e programadores — além de outros tantos trabalhadores que dependem mais diretamente da tecnologia para trabalhar — devem se manter informados sobre as novidades tecnológicas da sua área.

A mídia digital e impressa dá destaque para essas inovações, e não é difícil ficar antenado. Se você já sabe em que área pretende trabalhar, pode focar suas pesquisas na direção certa, buscando informações sobre o mercado em que atua e as ferramentas tecnológicas mais usadas, por exemplo.

Junte as informações que conseguir lendo jornais e revistas com as de blogs especializados e você vai ter bons critérios para direcionar, testar, decidir e melhorar suas aptidões nos softwares e ferramentas que vai utilizar profissionalmente.

E por falar em softwares e ferramentas, essa é uma questão crítica para se aperfeiçoar tecnologicamente e criar um poderoso diferencial competitivo.

2. Ter mais domínio das ferramentas importantes para o trabalho

Boas ferramentas tecnológicas são as maiores responsáveis pela sua produtividade. Embora o uso delas seja abordado durante os anos de universidade, o mais comum é que os formandos saiam de lá se sentindo despreparados.

Há algumas razões para isso: softwares de computador são ferramentas complexas em muitos casos, e apenas uma abordagem genérica — a única possível na ampla grade curricular dessas instituições — não prepara os alunos para a sua utilização.

Além do mais, nem sempre as disciplinas instrumentais no ensino superior são desenvolvidas por especialistas no uso desses softwares. Veja algumas dicas para melhorar suas aptidões com as principais ferramentas do seu trabalho:

2.1 Evite trocar de ferramentas o tempo todo

O que não faltam são boas ferramentas tecnológicas para todas as profissões. Se você é do tipo apaixonado por novidades, isso pode se transformar num problema: quem não fica tentado a usar sempre o software mais atual, os aparelhos mais recentes e que disponibilizam mais funcionalidades e opções?

Se deixar ser levado pela impulsividade, pode ser que isso afete seu rendimento negativamente. Pergunte aos especialistas da área que você pretende seguir e eles vão te responder que as melhores ferramentas tecnológicas são aquelas que você domina.

Claro, há alguns critérios para se levar em conta: quanto mais intuitivo e fácil de aprender um software for, melhor.

Mas, no fundo, o que mais importa é que você escolha a ferramenta que melhor se adapta às suas necessidades e continue trabalhando com ela por muito tempo, o que permite criar uma rotina e dominá-la de verdade.

2.2 Invista em cursos para se aprofundar nessas ferramentas

Uma coisa é fato: não dá pra escolher um software desses só lendo a respeito. Também não é muito recomendável decidir com base apenas em umas poucas experiências em casa, tomando uma decisão rápida sobre um programa com milhares de possibilidades.

Se você quiser chegar a uma decisão consciente e escolher a melhor opção — que, por sinal, vai te acompanhar por anos a fio — o melhor é mesmo fazer cursos e aproveitá-los para experimentar cada uma dessas ferramentas.

Vamos tomar a profissão de designer como exemplo: alguns profissionais dessa área preferem criar todo o material gráfico no CorelDraw. Outros argumentam que algumas funcionalidades desse programa o tornam ultrapassado e preferem usar opções como o Adobe Illustrator ou o Adobe InDesign.

Há também quem prefira aliar o que cada um desses softwares tem de melhor com funcionalidades básicas do Adobe Photoshop, por exemplo. Eles argumentam que aprender um pouco de cada software — em vez de dominar apenas um — torna seus trabalhos mais versáteis.

E como você vai ter a sua própria resposta para uma pergunta dessas? Só mesmo experimentando cada uma dessas ferramentas de forma orientada, com organização didática e podendo contar com a ajuda de professores que são especialistas.

3. Adquirir um forte diferencial competitivo

Se você é como a maioria das pessoas, só de ler o título deste tópico uma palavra bem específica veio à sua mente: “currículo”.

Não há como negar que ele ainda é importante. A seleção de um bom profissional de tecnologia mudou muito por causa dos motivos que discutimos anteriormente. Entretanto, essas mudanças não foram tão radicais a ponto de a velha fase da “análise de currículo” ser extinta do processo seletivo das empresas..

E, convenhamos: a maior parte dos currículos é bem parecida.

Se formos nos ater apenas aos candidatos como você, que estão prestes a iniciar no mercado de trabalho, eles são quase idênticos. Mesmo nível de escolaridade, pouca ou nenhuma experiência profissional, idade e objetivos bem parecidos.

Sabe onde um diferencial competitivo mais pesa nessa etapa? Naqueles cursos específicos na área de tecnologia.

E esses, quanto mais objetivos forem, melhor: você aprende novas habilidades tecnológicas valorizadas pelos seus empregadores, estudando em cursos que realmente te capacitam e vão direto ao ponto.

Saiba um pouco mais a respeito de como fazer da capacitação profissional na área de tecnologia um diferencial competitivo de verdade:

3.1 Mostre que você é um profissional de tecnologia que gosta de aprender

Como dissemos, as empresas querem profissionais qualificados para responder às mudanças constantes pelas quais o mercado de trabalho passa e vai continuar passando.

Por outro lado, qualquer diretor de Departamento Pessoal sabe o quanto é difícil recrutar gente que realmente gosta de aprender. As pessoas, por mais capacitadas que sejam, acabam sempre se acomodando e tratando o conhecimento que têm como verdade inquestionável.

Em uma época em que a tecnologia muda as coisas da noite para o dia, esse passa a ser um péssimo defeito.

E é por isso que o seu empregador vai entender claramente como você tem sede pelo conhecimento, quando ele tiver em mãos o seu currículo com pouca experiência de trabalho, mas já com diversos cursos tecnológicos concluídos.

Um dado interessante e que vai te convencer disso é que, via de regra, sai muito mais barato para uma empresa investir na qualificação dos seus funcionários do que contratar novos colaboradores, por mais qualificados que sejam.

Resumindo: faça vários cursos tecnológicos, melhore o seu currículo e ainda tenha a certeza de estar entre os nomes que ultrapassam essa etapa e são chamados para uma primeira entrevista.

3.2 Trabalhe em empresas que são a sua cara

É sempre bom lembrar que o principal critério de seleção das organizações, hoje, é o quanto um candidato aparenta apresentar os mesmos valores pessoais e profissionais que ela.

O que queremos dizer com isso é que os exames frios baseados em dinâmicas de grupo genéricas tendem a acabar. Os profissionais da área de Recursos Humanos têm desenvolvido a percepção de que todo candidato apresenta defeitos e qualidades, e que não é isso que define a sua escolha, mas sim a afinidade dele com aquela instituição.

Isso é uma ótima notícia para você: se souber passar a impressão certa em um exame de seleção, você será o escolhido para trabalhar em uma empresa que é a sua cara!

E se o seu conhecimento e aptidões tecnológicas forem treinados o suficiente, isso é garantia de trabalhar em uma empresa tão apaixonada pelo mundo digital e tecnológico quanto você. Quer coisa melhor?

4. Facilitar a recolocação profissional

Se você encontrar de primeira a empresa dos seus sonhos para trabalhar, ótimo! Mas, o mais provável é que você precise passar por várias experiências profissionais antes de isso acontecer. Pode ser também que o seu destino seja abrir o seu próprio negócio ou atuar como freelancer.

Não importa. Se investir na sua capacitação profissional na área tecnológica, estará um passo à frente quando precisar de uma recolocação profissional.

Avalie desta forma: hoje é difícil encontrar mão de obra qualificada para atuar nos diversos segmentos ligados direta ou indiretamente à tecnologia.

E, uma vez que as mudanças sociais e do mercado de trabalho estão em aceleração constante, isso deve se acentuar daqui a uns anos.

Se quiser tirar esse problema de letra quando for mudar de emprego, invista na sua capacitação agora e continue trabalhando nela mesmo quando estiver empregado. Do jeito que o mundo do trabalho mudou, é bem provável que seja do interesse da próxima empresa em que você for trabalhar investir na sua formação.

Tire proveito disso e direcione seus esforços de aprendizado para a área de tecnologia. Compreenda o mundo digital, as ferramentas mais usadas no seu ramo e também a lógica de pensamento por trás das novidades tecnológicas como um todo.

Independentemente da área em que você atue, há certos conhecimentos que começam a fazer parte de uma formação mais geral para o mercado de trabalho. Saber conceitos básicos de programação, design, webdesign e até mesmo noções elementares de marketing digital e empreendedorismo só têm a acrescentar à carreira de qualquer profissional.

E vão te deixar anos-luz à frente dos concorrentes quando, por um motivo ou outro, precisar de recolocação profissional!

5. Entenda por que investir em capacitação por EAD

Se a sua rotina de estudos é corrida ou se você mora longe dos grandes centros urbanos, pode ser que tenha acompanhado tudo o que falamos até aqui com um pé atrás.

E é justamente em casos como o seu que o Ensino a Distância cai como uma luva. A desconfiança que esse tipo de instrução despertou nos seus primeiros anos já caiu por terra há um bom tempo. Hoje, os cursos a distância são vistos com muitos bons olhos pelos empregadores e funcionários..

Podemos mesmo falar que ele seja uma das mais promissoras mudanças que a tecnologia tem promovido no aperfeiçoamento profissional.

Se você é do tipo que só se convence com números, aqui vão alguns bem animadores: a estimativa é que o Ensino a Distância (EAD) dobre no Brasil em apenas 5 anos. Além disso, eles são, em média, 4 vezes mais baratos que o ensino tradicional.

Nada mal, não é mesmo? Confira outros benefícios do EAD que podem te convencer de que esta é uma excelente alternativa de capacitação:

5.1 Os horários são flexíveis

Até nisso o mundo mudou. Por assim dizer, é como se o dia das pessoas tivesse menos horas. Transitar pelas cidades grandes ou mesmo pequenas é demorado, cansativo e estressante.

E nada disso condiz com um bom aprendizado, que requer concentração e resistência mental. A dica de ouro é estudar sem precisar sair de casa, na frente de um computador, smartphone ou tablet.

Pela forma como os cursos à distância são elaborados, você não perde o contato com professores experientes e material de primeira qualidade. E ainda pode contar com flexibilidade total de horário. Basta uma senha de acesso à plataforma onde estão os seus cursos e você decide se estuda de manhã, tarde, noite ou madrugada.

Se precisar se deslocar por algum motivo, basta uma boa conexão de dados móvel para fazer os seus cursos de dentro do carro ou ônibus.

5.2 Os cursos são econômicos

Como dissemos, o EAD custa, em média, um quarto do que você pagaria em um curso convencional.

E a economia não para por aí: o material didático é digitalizado, evitando os gastos com as fotocópias que tanto consomem os recursos dos alunos. Outros custos pesados do ensino tradicional também podem ser evitados com o EAD, como é o caso do transporte e da alimentação.

Coloque tudo isso na ponta do lápis e você vai entender por que a cada ano mais gente adere à praticidade e economia dos cursos à distância.

5.3 A rotina de estudos se adequa ao seu ritmo

Tem gente que detesta acordar cedo. Outros não têm resistência mental à noite e, se tiverem que frequentar um curso nesse horário, fatalmente terão seu desempenho comprometido. Há, ainda, os que preferem estudar todo o conteúdo diário de uma vez para ficarem livres. Outros, assimilam melhor fazendo pequenos turnos de meia ou uma hora e descansando em seguida.

Como você deve ter notado, uma sala de aula jamais vai atender as necessidades de todos os alunos, já que eles são tão diferentes entre si.

Este talvez seja o maior benefício dos cursos a distância: só eles podem se adaptar ao ritmo de cada estudante, possibilitando um rendimento melhor e também a oportunidade de ele conhecer e testar seus próprios limites no aprendizado.

5.4 A interação entre alunos e professores não é necessariamente menor

Da forma como a maioria das plataformas de EAD é concebida, a interação entre alunos e professores acaba sendo bastante incentivada, ao contrário do que se imagina.

A troca de opiniões, materiais e informações sobre os cursos também é parte integrante do Ensino a Distância. Afinal, o aprendizado é muito mais efetivo se feito em conjunto, não é verdade? E o conhecimento é algo construído socialmente.

A tecnologia não mudou o mercado de trabalho. Ela mudou as pessoas e as pessoas mudaram o mercado de trabalho. A maneira como compramos, vendemos, trabalhamos e estudamos é um reflexo de quem somos.

É por isso que tantos entre nós são tão apaixonados, a um tempo, pela tecnologia e pelo conhecimento. Porque sabem que ambos são muito parecidos na forma como podemos usá-los para nos transformarmos em pessoas melhores e, por consequência, em profissionais melhores.

Como toda certeza, compreendendo a importância da capacitação profissional e fazendo uso do ensino a distância, você vai caminhar junto com as tendências do mercado de tecnologia. O que, no futuro, será o seu maior diferencial competitivo e humano.

Quer começar agora mesmo a embarcar nessas mudanças que vão aprimorar o seu lado pessoal e profissional? Então assine a nossa newsletter e receba conteúdo como este direto na sua caixa de e-mail. Fique por dentro de novidades sobre educação e tecnologia!

Fique por dentro

  • Maxwel Pereira

    Ótimo artigo, principalmente para quem está começando e tem um turbilhão de dúvidas e incertezas!

  • Primeiramente, parabéns Paulo pela qualidade do artigo, é sempre importante seguir as dicas que vocês passam para nós que ainda estamos só no começo!

    Tenho a assinatura da Alura faz pouco tempo e já estou bem empolgado com a qualidade e diversidade dos cursos. Acompanho seus podcasts também lá no Jovem Nerd e admiro muito seu trabalho. Porém, tenho algumas dúvidas em relação a visibilidade que os cursos da Alura tem no mercado de trabalho e em como conseguir minha primeira oportunidade.

    Eu não tenho experiência nenhuma na área, mas já li muitos livros bons, alguns até da casa do código e outros de autores norte americanos (em HTML5, CSS3, JavaScript entre outros) e também livros sobre empreendedorismo e negócios. Acompanho também blogs sobre marketing digital e blogs especializados de tecnologia na área de desenvolvimento web. Já fiz alguns cursos na Udemy e estou fazendo agora alguns cursos aqui na Alura e pretendo fazer muitos outros. Enfim, já é um começo ou eu preciso de alguma experiência por fora e preciso necessariamente ter algum curso superior?

    Desculpe pelo texto enorme, porém são algumas dúvidas que persistem e que acredito ser de muitos que estão agora começando na área! Obrigado e até mais.

    • Paulo Silveira

      Poxa André, vou te contar um segredo: gravei um podcast sobre todas essas perguntas exatamente hoje que sai em algumas semanas.

      Minha opiniao: o mais importante para conseguir a primeira vaga não é ter uma faculdade, não é fazer um curso excelente: é você poder demonstrar sua dedicação e seu conhecimento. Como? Com alguma forma de “portfolio”. Seja um projeto seu que voce comitou no github, seja designs do adobe que voce colocou no behance, seja mostrando que você participa de foruns ou mesmo blogs, como acabou de fazer.

      Claro, sempre haverá as empresas que olham por primeiro a formação. Mas se você souber se apresentar bem no email e deixar claro onde as pessoas possam olhar o trabalho que você já fez, mesmo que para estudo, é um caminho promissor.

      • Já tenho alguns projetos em mente e pretendo lançar em breve um site onde vou apresentar meu trabalho. Meus projetos futuros quero disponibilizar todos ali, através de um portfólio mesmo.

        Sobre a faculdade sei que é importante, mas também acredito muita na capacidade de cada pessoa. O comprometimento e a paixão que você dedica ao seu trabalho faz toda a diferença. E pra mim, manter o foco no que realmente vai acrescentar algo pra carreira de desenvolvedor é o mais importante.

        Agradeço muito por suas dicas Paulo, admiro mesmo seu trabalho e o conhecimento que você demonstra ter. De coração, levo seu trabalho como exemplo a se seguir. Abraços e até mais!

Próximo Artigo7 hacks e dicas do Illustrator que você precisa conhecer!