Inovação e criatividade: veja como o design thinking pode ajudá-lo

(Última atualização em: 8 de maio de 2017)

Somos um mundo de criadores! Já parou para pensar dessa forma? O ser humano evoluiu tanto em tão pouco tempo porque soube usar inovação e criatividade como motor para a vida.

A cada dia, essa se torna uma necessidade maior, tanto profissionalmente como em nossas vidas pessoais, e o design thinking é a metodologia mais usada atualmente para resolver problemas.

Você quer saber como aplicá-lo para ser mais criativo? Então este artigo é para você!

Viver criando e criar vivendo

Em algum momento da história, entre a Renascença e a Revolução Industrial, criou-se uma imagem supervalorizada do “inventor”, uma pessoa especial que tinha o dom raro de criar coisas novas.

Você conhece o estereótipo: cabelos desgrenhados, fala sozinho, grita “Eureca!”. O que aconteceu foi que o rótulo de pessoa especial acabou desincentivando muitas outras que achavam não ter o que era preciso para ser criativas.

Essa visão estigmatizada finalmente está perdendo força. Qualquer pessoa pode ser criativa. E deve ser! O design thinking é uma consequência disso, de pessoas buscando incorporar inovação e criatividade em suas vidas.

Independentemente da forma como você faça isso, esta é a dica: viver criando e criar vivendo.

Para ser criativa, uma pessoa não precisa de talento divino ou uma certa personalidade, mas saber identificar problemas e encontrar soluções em qualquer lugar, a qualquer hora.

Design thinking, inovação e criatividade

Mas como o design thinking pode ajudá-lo a fazer isso? Primeiro, temos que falar sobre como ele funciona.

O design thinking é uma série de métodos para abordar qualquer tipo de problema da forma como faz o designer em seu trabalho.

É um ciclo de identificar algo que pode ser melhorado ou adaptado a partir de um problema, entender seu contexto, experimentar ideias e gerar uma solução que resolva o obstáculo, seja ele qual for.

Esse tipo de abordagem pode ser usado em qualquer momento da sua vida: no seu trabalho, claro, mas também nos estudos, no controle financeiro ou no planejamento de uma viagem.

Para isso, basta seguir um fluxo bem simples ao se deparar com qualquer problema:

1. Descoberta

O primeiro passo para inovar com design thinking é descobrir mais sobre um problema que você identificou anteriormente, seja por observação ou por ter sentido na pele.

  • Falta tempo para estudar?
  • Eu preciso de uma forma melhor para gerir meu material de estudo?

A maioria das ideias inovadoras surge de necessidades rotineiras de pessoas atentas e criativas.

2. Interpretação

Depois de entendido melhor e identificado todos os aspectos que circundam e motivam o problema, é preciso interpretar e compreender esses dados. Aqui, é importante a empatia, conseguir se colocar no lugar de outras pessoas.

  • Muita gente enfrenta esse problema?
  • Alguém já o abordou de alguma forma?
  • Solucioná-lo vai realmente melhorar a minha vida e a de outras pessoas?

Colocar a questão em um contexto local e global ajuda a pensar em formas de resolvê-la.

3. Ideação

É hora de ter ideias. Aqui, vale tudo, o que vier à cabeça, desde que de forma ordenada e sempre com um foco na solução do problema (inclusive essa falta de objetivo claro é um problema que muitas empresas têm ao lidar com o começo do processo de design thinking).

O brainstorming é uma ferramenta poderosa porque te faz encontrar e associar ideias que a princípio não parecem ter relação, e é exatamente por isso que são inovadoras.

4. Experimentação

Do brainstorming, surgem as ideias mais promissoras. É hora de agrupar as similares, combinar e confrontar ideias, para finalmente selecionar apenas as que atendam ao problema de fato e sejam viáveis diante seu tempo e recurso.

Selecionadas as mais promissoras, todas elas devem passar para a fase de experimentação e ser testadas no mundo real. É a hora de descobrir se alguma delas vai funcionar.

5. Evolução

Se você chegou a este passo ao inovar, parabéns! Você identificou um problema, interpretou, teve ideias, experimentou e chegou a uma solução mais apropriada!

Ou talvez não. Talvez a solução não seja possível no momento, mas ao passar por esse processo você está um degrau acima do que estava antes para alcançar uma inovação.

Outra característica importante do design thinking é nunca parar. A criatividade é motor que não pode esfriar, e nenhuma solução é perfeita. É hora de voltar ao problema e ver como evoluir a ideia. Mãos à obra!

Como inovar em tudo

Agora que você sabe como aplicar o design thinking na sua vida, é hora de colocá-lo em prática. Mas inovar e criar não são apenas seguir uma metodologia, mas, praticamente, uma questão de estilo de vida.

Você quer mudar a sua? Então é bom praticar desde já estes costumes para se tornar alguém realmente criativo:

Nunca pare de aprender

Estudar é uma prática para a sua vida, então aprenda!

Não existe cultura inútil. Tente ir mais a fundo em tudo o que te interessar, busque informações e as conteste. Nunca tome uma verdade como absoluta.

A base da criatividade não é uma inspiração divina e instantânea, é uma mente treinada para absorver e se relacionar com tudo à sua volta.

Misture as referências

Podemos dizer que aqui está a base da inovação. Não existe nada novo no mundo que já não tenham descoberto. Por isso, nunca busque soluções do nada.

A criatividade vem da habilidade de pegar referências distintas e combiná-las de um jeito que ninguém pensou ainda, mas que resolve o problema em questão.

Então, não tenha medo de misturar as coisas. Deixe os preceitos e os preconceitos de lado e treine seu cérebro para fazer associações livres de tudo o que encontra pela frente.

Abrace todas as ideias

Sim, é para abraçar mesmo! Proteja as suas ideias e não desista delas facilmente. No momento certo, você vai saber se ela é viável ou não, mas, no começo, apenas deixe que ela amadureça em sua cabeça.

Quantas ideias boas não foram perdidas por serem abandonadas antes da hora? É melhor nem pensar nessa conta.

Mapeie todas as ideias

É por isso que, não importa a ideia, trabalhe nela. Inovação e criatividade vêm da persistência.

Se alguma se mostrou promissora, mapeie o que é preciso para experimentá-la, como ela vai funcionar, pontos positivos e negativos. Por menor que seja o problema que você quer resolver, é importante encontrar a solução mais adequada e eficiente.

Teste todas as ideias

Não tenha medo de errar! Se a solução é viável ou não, você só vai saber testando. Ponha as melhores ideias em prática, repita os testes e tente de outras formas.

Boa parte do processo criativo e do design thinking tem a ver com evolução. Experimentar é a melhor forma de encontrar os pontos fracos da sua ideia e consertá-los.

A era dos grandes inventores já passou há muito tempo. A humanidade vem evoluindo de forma tão rápida porque cada pessoa pode ser uma fonte de inovação e criatividade.

Seja criativo você também, em todos os aspectos da sua vida. Essa é a forma de não apenas facilitar a sua vida e crescer profissionalmente, como uma contribuição para vivermos em um mundo melhor.

E aí, gostou do artigo? Também quer viver em um mundo de criadores? Então compartilhe em suas redes sociais!

Próximo ArtigoComo melhorar a usabilidade com ícones?