Momentos históricos das mulheres na tecnologia

(Last Updated On: 1 de junho de 2017)

Esse mês queremos fazer uma homenagem a mulheres que tiveram grandes conquistas e contribuições para área de tecnologia. Por quê? Pois é uma forma de vermos que há sim “role models” que podemos seguir e admirar. A área de tecnologia ainda é composta por uma maioria de homens, e as mulheres podem e devem ter mais reconhecimento e representatividade.

Repare que alguns momentos históricos na computação foram protagonizados por mulheres e esperamos que essas histórias inspirem vocês, assim como nos inspiram constantemente:

Dorothy Johnson Vaughan, nascida em Kansas City, 1910, foi matemática graduada pela Wilberforce University.

Durante seus 28 anos de carreira na NASA, foi chefe de um grupo de trabalho formado apenas por mulheres negras e matemáticas, e tornou-se a primeira supervisora negra.

Autodidata, especializou-se na linguagem de programação FORTRAN, e por isto liderou a seção de programação da Divisão de Análise e Computação do Langley Research Center. Não é coisa pouca! Quem nunca sonhou em ser programadora na NASA? A Dorothy realizou essa tarefa e participou de projetos muito importantes.

Além disso, ela também é uma das mulheres destacada na história Estrelas Além do Tempo (Hidden Figures) que foi lançado recentemente nos cinemas.


Grace Murray Hopper (Nova Iorque, 1906 – 1992) foi Ph.D. em Matemática, analista de sistemas da Marinha dos Estados Unidos nas décadas de 1940 e 1950 e almirante.

Foi ela quem criou a linguagem de programação Flow-Matic (hoje extinta) que serviu como base para a criação da linguagem COBOL (Common Business Oriented Language) devido a necessidade de criar uma linguagem orientada para negócios comuns. Pois é! Essa linguagem que domina muitas áreas dos grandes bancos tem uma mulher com papel de protagonista.

No começo dos anos 1950 ela desenvolveu um compilador operacional, naquela época acreditava-se que computadores só podiam realizar operações aritméticas. Depois como diretora de programação automática, seu departamento divulgou algumas das primeiras linguagens de programação baseadas em compilador. Isso mesmo: considerada uma das mães dos compiladores.


Marissa Ann Mayer (Wausau, 1975) é uma cientista da computação que formou-se, com honras, na Universidade de Stanford, com mestrado e doutorado em Ciências da Computação. Seu trabalho na área acadêmica resultou em várias patentes na área de inteligência artificial.

Entrou no Google em 1999 como funcionária nº20 e sendo a primeira mulher engenheira. No Google teve cargos chave nos principais serviços da compania, com destaque no time de Google AdWords, que é o coração financeiro da empresa, e por fim vice-presidente de serviços geográficos e locais.

Hoje é CEO e faz parte da diretoria do Yahoo! onde promoveu mudanças radicais em vários produtos e na compania, como a melhoria política de maternidade, e compra de diversas empresas como o Tumblr.

Foi diversas vezes presente em ranking de mulheres de negócios mais poderosas do mundo. Mesmo com o Yahoo! estando numa situação complicada entre os gigantes de tecnologia, Marissa é referência mundial em liderança e tecnologia.


Ada Augusta King, Condessa de Lovelace (Byron, 1815 – 1852), foi uma matemática e escritora inglesa. Ela foi a primeira a reconhecer que máquinas poderiam ter aplicações além de puro calculos e criou primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, a máquina analítica de Charles Babbage.

Durante o período em que esteve envolvida com o projeto de Babbage, ela desenvolveu os algoritmos que permitiriam a máquina computar os valores de funções matemáticas, além de publicar uma coleção de notas sobre a máquina analítica.

Por esse trabalho é considerada a primeira programadora de computadores de toda a história. Vale lembrar que ela escreveu o programa em um papel, com as instruções de como programar a máquina analítica, que nunca chegou a ser construída em seu tempo de vida. A Ada é até mesmo uma referência da cultura pop.


Margaret Heafield Hamilton (Paoli, 1936) é matemática, cientista da computação, engenheira de software e empresária.

Foi diretora da Divisão de Software no Laboratório de Instrumentação do MIT, que desenvolveu o programa de voo usado no projeto Apollo 11, software que impediu que o pouso na Lua fosse abortado por falha humana. Você entendeu bem: sem o programa que ela escreveu, nada de “pequeno passo para o homem, grande passo para a humanidade”. Foi um grande passo para as mulheres também.

Em 1986 ela fundou sua própria empresa, a Hamilton Technologies Inc com sede em Cambridge. Onde desenvolveu seu paradigma para Sistemas e Design de Software, o Development Before the Fact.

Além de ser creditada por ter criado o termo “engenharia de software”, foi uma das desenvolvedoras dos conceitos de computação paralela, priority scheduling, teste de sistema, e capacidade de decisão com integração humana, tais como mostradores de prioridade que viriam a ser o fundamento do design de software ultra confiável.

Foi premiada com a Medalha Presidencial da Liberdade pelo presidente dos EUA Barack Obama, maior honra a um civil daquele país.

Ficamos por aqui?

Não! Isto é um pequeno passo perto do muito que ainda precisa ser feito para aumentarmos a participação de mais mulheres na área de tecnologia, e também para manter as que estão, através reconhecimento de seu trabalho e respeito.

Tecnologia é um campo fascinante, e realmente queremos trazer mais mulheres para trabalharem com a gente: temos muitas vagas, é desafiador e possibilita que você use suas capacidades criativas, não só técnicas. Vem trabalhar com tecnologia! Tire dúvidas comigo e com outras mulheres da área…. computação é sim para você também!

Nesse mês de março todas pessoas que assinarem Alura irão ganhar stickers bacanas, sendo 5 deles com essas 5 mulheres incríveis e uma carta de nossas desenvolvedoras reforçando a importância da participação das mulheres no campo de tecnologia.

Aproveite também e conheça um pouco mais das mulheres na tecnologia nesse podcast do Hipsters Ponto Tech.

FIQUE POR DENTRO

Instrutora na Caelum, Desenvolvedora Frontend e Agile Coach.

  • Luka Fernandes

    Excelente texto! Parabéns pela homenagem! Amei =)

    • Paulo Silveira

      valeu Luka! a equipe toda está animada não só com homenagem mas como com algumas surpresas para os próximos dias 🙂

  • Jeziel Moura

    Acho que existem nomes melhores para estarem aí ao invés da Marissa Mayer, tipo Barbara Liskov. Acho que a passagem da Marissa pela Yahoo! não foi muito proveitosa.

    • Paulo Silveira

      oi Jeziel! Foi um tema que debatemos bastante pra escolhê-la. Mas concordamos no final que as carreiras de sucesso possuem seus caminhos tortuosos e momentos de dificuldade, como a do Jobs durante sua saída da Apple na decada de 90.

      E mais: tem uma quantidade enorme de mulheres ai que ficaram de fora 🙂

  • Rafael Ramos

    linda homenagem!!! Perfeito!!!

  • Mariana Coelho
    • Paulo Silveira

      valeu o link mariana!

      • Mariana Coelho

        De nada Paulo! 😀 É que eu descobri por um amigo a história dela e achei super diferente!

  • Pingback: Mulheres na Tecnologia – Hipsters #34 | Hipsters Ponto Tech()

  • Paulo Santos

    Excelente post!!! Meus parabéns a todas as mulheres!!!

  • Bruno Paschoali

    Olá. Parabéns pelo texto. É muito triste que ainda haja esse preconceito ridículo, não só na área de tecnologia, mas em tantas outras. Ainda mais pensando em tecnologia e nos grandes feitos por mulheres como os que foram citados, é lamentável que as pessoas ainda sejam tão machistas.

    Poxa vida, queria os stickers e carta, mas já sou aluno 🙁

  • Pingback: Ajudando - Vida de Suporte()

  • Matheus Theo

    Incrível !!!!! Só me faz ter mais gosto por essa plataforma <3

  • Jéssica Marques

    Que linda homenagem! Amei! S2

  • Massa demais 🙂

  • Nara Fontenele

    Texto lindo, parabéns! Indico também o livro ”Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes” Que é pra adulto também! (:

  • Kat Rockenbach

    Que lindo o texto. Muito inspirador!!

  • Vinicius Vinci

    Muito boa seleção! Além das mulheres da tecnologia, há outras essenciais na história recente, como a Rose Parks, que causou o estopim do movimento anti-segregacionista americano (e posteriormente mundial), simplesmente se recusando a levantar a bunda da cadeira do ônibus, e da Florence Nightingale, que além de estaticista, praticamente inventou a moderna enfermagem, mudando os hospitais radicalmente: https://en.wikipedia.org/wiki/Florence_Nightingale

    De qualquer maneira essa lista iria ficar imensa se transbordasse pras outras áreas. Belo artigo!

    🙂

Próximo ArtigoA arquitetura do novo site da Alura