Redesign de site: saiba por onde começar

(Last Updated On: 26 de dezembro de 2017)

Provavelmente você já pensou sobre como um site seria se determinado menu fosse diferente ou o fundo tivesse uma outra cor, certo? Quem sabe até mesmo você já tenha imaginado um redesign completo para as páginas que você mais acessa.

Ultimamente, diversas empresas estão passando por esse processo e fazendo verdadeiras transformações em seus sites. Muitas vezes, essas transformações vão além do visual, facilitando a navegação e deixando a vida do usuário ainda mais simples. A Caelum mesmo passou por um redesign há um tempo.

Ao lidar com o processo de redesign de site, deve-se levar em consideração, além de todos os objetivos da companhia, a mensagem que ela deseja passar aos seus clientes, desde a fase de planejamento até a execução da ideia. Apesar disso, é importante notar que nem todos os elementos de design criados anteriormente precisam ser alterados com esse procedimento.

A verdade é que redesenhar o website é justamente isso: realizar modificações funcionais, que tornam o site mais amigável para o usuário, com o intuito de favorecer o alcance dos objetivos da estratégia de marketing da empresa.

No post de hoje, vamos explorar um pouco mais esse assunto para que você saiba por onde começar ao fazer o redesign de site!

Quando devo considerar o redesign de site?

Existem diversas razões que provam a relevância do redesign do site para uma empresa e mostram como esse processo pode facilitar o alcance das metas. Abaixo, listamos algumas delas para que você entenda melhor. Acompanhe!

1. Quando não se obtém os resultados esperados

Ainda que o site esteja ótimo e funcionando conforme foi programado, se ele não está gerando os resultados desejados, a reformulação do design é, com certeza, uma solução bem plausível.

Nesse caso, os dados presentes no site e o modo como as pessoas o acessam são ótimos indicadores daquilo que deve ser redesenhado no site para melhorar a experiência do usuário ao navegar por ele. Para facilitar, algumas perguntas podem ser feitas, como:

  • O Call To Action (CTA) está convertendo os visitantes em leads?
  • As páginas possuem um design bem trabalhado?
  • Elas encorajam o usuário a passar mais tempo no website?
  • A mensagem da empresa está sendo transmitida da forma correta ao público-alvo?

2. Quando o site não tem um design responsivo

Hoje em dia, uma grande parcela do tráfego da internet deriva de dispositivos móveis, provando o caráter fundamental e a importância de sites responsivos.

Se o site de uma empresa não é totalmente compatível com dispositivos como tablets e smartphones, ela pode perder visitantes e, consequentemente, possíveis clientes. Assim, é de extrema importância que as empresas enxerguem a responsividade dos seus websites como algo de alta prioridade. Um conselho é tentar pensar mobile first a fim de facilitar a adaptação desse novo layout para tamanhos de tela maiores.

3. Quando a concorrência se atualiza

Claro que não é preciso fazer alterações no site sempre que a concorrência fizer isso. Contudo, se o concorrente fizer grandes mudanças que impliquem na melhoria da posição dele nos motores de busca, o site da sua empresa poderá ser prejudicado.

Dessa forma, é importante dar uma olhada nos sites dos concorrentes para que se tenha uma ideia de como alterar os objetivos do próprio site, antes de executar o processo de redesign. O importante, nesse caso, é apresentar melhores respostas aos atuais e possíveis clientes.

Lembrando sempre que o usuário do seu concorrente não é seu usuário. Se o concorrente mudar a cor padrão do site e apresentar crescimento de alguma forma, não é mudando para a mesma cor que acontecerá o mesmo com você.

4. Quando há mudanças na estratégia de conteúdo

Por conta da colaboração para as campanhas de SEO, o conteúdo do website é sempre uma das prioridades. Entretanto, de que vai adiantar um conteúdo tão bom se o usuário não puder encontrá-lo?

Se o planejamento abrange alterar a estratégia de conteúdo ou expandir a produção de conteúdo para o blog da empresa, por exemplo, é muito importante que seja feito um novo desenho para o site, para que a comunicação com o usuário continue eficiente.

Acima de tudo isso, é importante que o visitante se sinta confortável para pesquisar e percorrer todo o site, além de localizar de forma prática tudo o que lhe interessar.

5. Quando as ferramentas são modernizadas

Se temos um site que recorre a ferramentas externas para fornecer uma experiência completa — como um sistema de pagamento de uma loja virtual, por exemplo — é preciso que essas ferramentas sejam compatíveis e estejam de acordo com os padrões de funcionalidade atuais.

O que exatamente devo levar em consideração?

1. Qual o impacto do novo design para o usuário?

O processo de mudança faz parte dos sites. Mesmo assim, muita gente cria uma barreira quanto à utilização daquilo que é novo, ainda que a mudança seja para a melhor.

Dito isso, é preciso ter bastante cuidado ao implementar um redesign completo no site, pois, além disso implicar numa mudança na forma de navegar, também é uma introdução a um visual totalmente novo.

Para que haja uma boa aceitação, essas mudanças precisam influenciar positivamente a experiência do cliente e, para isso, é fundamental que ele se sinta totalmente confortável.

Caso seja coerente, procure manter os títulos das principais seções do site. Também é válido criar uma página explicando a mudança, sendo esta uma ótima oportunidade para explicar as alterações no site e até mesmo pedir um feedback sobre a mudança.

2. Qual a vantagem para a empresa de ter um site responsivo?

É mais viável desenvolver um site que seja totalmente compatível com desktop e dispositivos móveis. Isso ajuda a economizar a longo prazo, em comparação a ter dois ou mais projetos em desenvolvimento para diferentes tipos de aparelhos.

Além disso, é vantajoso para a empresa ter um site responsivo pois ele poderá ser facilmente acessado pelo cliente, não importando de qual dispositivo ele esteja acessando naquele momento. Isso impactará diretamente no número de visitas e, consequentemente, no número de compras realizadas — no caso das lojas virtuais.

3. As estatísticas do site antigo foram analisadas?

Não há como olhar para um negócio sem imaginar as possibilidades de melhoria, não é mesmo? Ainda mais em pontos onde os clientes interagem de forma direta com a empresa.

Entretanto, assim como em qualquer outro projeto, para que possamos evoluir, é preciso saber onde estamos, antes de tudo. Assim, o primeiro passo deve ser fazer uma análise atenciosa das atuais estatísticas de visitas do site.

Talvez você esteja se perguntando quais estatísticas poderiam ser analisadas. Isso é relativamente simples, basta se basear na demanda ou necessidade vista nos dados. Se existe uma alta quantidade de usuários estrangeiros, não seria uma boa ideia lançar uma versão em inglês do site, por exemplo?

Além de se certificar de que está partindo do ponto certo, os dados analisados poderão ser comparados com os que serão obtidos futuramente, ajudando a melhorar cada vez mais o projeto.O Google Analytics é seu amigo.

4. Que tal aplicar o flat design?

Ao utilizar o flat design pode-se ter uma estrutura visual mais plana sem abusar de cores e tipografias, o que torna a navegação pelo site mais simples e intuitiva.

Além de auxiliar na boa navegabilidade nos smartphones e tablets, o flat design facilita a compreensão do conteúdo e também na detecção de botões de ação e CTA.

É importante ressaltar que a aplicação desse tipo de design depende da intenção e linguagem de cada empresa e a identidade da marca. Logo, dê atenção a esse aspecto, ok?

5. E se o usuário clicar em um link antigo?

Quando o redesign do site é realizado, é possível que também ocorram alterações nos endereços das páginas. Isso normalmente acontece, pois, ao montar um novo design, podem ser feitas alterações na estrutura de pastas ou a inclusão/exclusão de arquivos, a depender do caso.

Nesse caso, o problema é o desperdício de usuários, já que, quando eles vierem de antigos links espalhados pela internet, não encontrarão mais o site.

Já que é praticamente impossível que todos os endereços das páginas se mantenham intactos, registre todos os erros 404, ou seja, todas as páginas não encontradas.

Além disso, também inclua os antigos endereços às páginas do site mais recente. Quando não fizer isso, pelo menos redirecione o usuário para a homepage do site quando uma mensagem de página não encontrada aparecer. Nessa hora o Google Analytics continua sendo seu amigo e consegue trackear esses 404.

E aí, curtiu nossas dicas de redesign de site? Não deixe de compartilhá-las nas suas redes sociais para que seus amigos também saibam da importância dessas práticas!

A experiência do usuário é muito importante quando estamos criando, ou redesenhando um site. Aqui a Alura temos uma carreira em UX design. Nela você aprenderá sobre o que é User Experience, como entender as necessidades do usuário, como elaborar protótipos e muito mais.

FIQUE POR DENTRO

Bacharel em Design Digital, atua na área de web há cerca de cinco anos. Já trabalhou também com animação e edição de vídeo. Atualmente desenvolve e ensina front end e UX Design na Caelum. Ama tecnologia, front end, design, jogos e coisas revolucionárias.

Próximo ArtigoQuero trabalhar em uma startup. O que preciso fazer?