O que é o Marketing de Conteúdo

(Last Updated On: 19 de dezembro de 2018)

Estamos trabalhando em uma editora de livros que já vende diversos produtos por conta das propagandas publicadas em revistas, estampadas em outdoor, transmitidas em rádios e canais de televisão e, até mesmo, na internet, com anúncios pagos em portais de notícias, sites relacionados a cultura e sites de blogueiros que fazem resenhas de livros.

Com o passar de um tempo, percebemos que muitas editoras que interagiam com o público nas redes sociais aumentaram suas vendas. Por mais que nossas vendas não tenham diminuído, antes, as nossas vendas acompanhavam o das outras editoras, agora, as vendas das outras editoras, que interagem com os clientes nas redes sociais, está bem maior que as da nossa. Então, passamos a analisar que queríamos ter esse contato com os clientes e pensamos em ter uma atuação mais direta com eles, pelas redes sociais também.

Dessa forma, criamos contas no Facebook, Twitter e Instagram para a editora e começamos a fazer diversas publicações relacionadas aos livros que são feitos e vendidos pela empresa.

Porém, com o passar do tempo, percebemos que não estávamos atingindo o público da maneira que queríamos, de uma forma com que eles interagem nas redes sociais da editora e se interessasse pelos perfis.

Assim, começamos a pensar em outros tipos de publicações que poderiam fazer. Pensamos em passar um conteúdo a mais dos lançamentos que seriam feitos pela editora, como séries baseadas em livros publicados ou até mesmo curiosidades da história e do processo de escrita de um livro que ainda será publicado.

Para isso, fazíamos publicações desse tipo nas redes sociais, mas também sentimos que poderíamos usar outro canal para aprofundar mais nas novidades e curiosidades. Pensamos em fazer um blog onde colocaríamos de forma bem mais aprofunda as novidade.

A partir disso, também começamos a colocar os links dos posts do blog nas publicações das redes sociais, tornando-as um ponto de encontro não só dos leitores, mas também dos diversos canais da empresa.

Isso começou a gerar o resultado que queríamos, com muitas pessoas marcando umas às outras para verem as novidades, para lerem mais sobre as curiosidades do livro ou, então, para falar de um evento de lançamento.

Com o passar do tempo, percebemos que nossas redes sociais transmitiam um conhecimento que, para algumas pessoas, era desconhecido, ou acrescentava mais conhecimento para quem já possuía algum.

Assim, muitas pessoas começavam a se simpatizar pela editora e, depois de algum tempo, começaram a comprar os livros publicados.

Isso que passamos a fazer na editora é o que chamamos de marketing de conteúdo, que acontece quando você transmite um conteúdo que traz um conhecimento relacionado ao que sua empresa faz, tornando-a conhecida e referência sobre o assunto.

Dessa forma, sempre que alguém pensar no produto da sua empresa, ela virá à mente da pessoa, tornando a empresa uma autoridade a respeito do assunto.

Esse tipo de marketing tem como objetivo atrair clientes, mas de uma maneira sutil, sem se autopromover diretamente, como acontece nas propagandas do marketing tradicional.

A empresa transmite um conhecimento, que não tem necessariamente o objetivo de vender, mas que pode resultar em uma venda, pois quando o cliente precisar do produto que sua marca vende, ele sempre irá recorrer a ela.

Funil do Marketing de Conteúdo

Diferente do tradicional, no qual a intenção é que a venda ocorra de maneira direta, já que a pessoa vê e já procura comprar o produto, no marketing de conteúdo acontece um processo dividido em etapas até que ocorra, efetivamente, a venda do produto. Esse processo é o que chamamos de funil do marketing de conteúdo e ele possui quatro etapas.

Primeira: atrair pessoas. Nessa etapa, você cria um conteúdo interessante e de qualidade, que pode vir por meio de posts em blogs, publicações nas redes sociais e o próprio site da empresa, para atrair as pessoas.

Segunda: converter. Nessa etapa você começa a converter a pessoa interessada em um Lead, que é um possível futuro cliente da empresa. Isso acontece por meio de Call-to-actions e formulários, pedindo o contato da pessoa para que ela receba futuras informações a respeito da empresa.

Terceira: fechar a venda. Isso acontece quando a pessoa efetivamente realiza a compra do produto da empresa. Isso se dá por meio de envio de newsletters, alertas de vendas, segmentação dos leads e a entrega de um conteúdo específico para aquela pessoa para nutri-la com conteúdos que a interessem. Além disso mostrando que a empresa possui produtos que têm a ver com o problema dela.

Quarta: fidelizar. Nessa etapa, tem outra diferença entre o marketing de conteúdo e o marketing tradicional. No marketing de conteúdo é muito importante que o cliente, além de comprar, também torne-se fiel à marca, pois, assim, ele sempre comprará os produtos da empresa. São pessoas que gostam do seu conteúdo e do seu produto, fazendo com que as chances deles divulgarem a marca sejam maiores. Então é importante criar conteúdos que apresentem os produtos, para quem não os conhece, e tragam as novidades da sua empresa, para aqueles que já a conhecem, também.

Conteúdo

Primeiro, pense no conteúdo que poderia transmitir aos seus clientes. Deve ser algo que seja relacionado a eles, ao seu produto e que os interesse. Caso seja necessário, procure e pesquise os assuntos relacionados e tente trazê-los para a realidade da sua empresa.

Pense que, no caso da editora, tentávamos trazer o leitor para perto do livro, apresentando curiosidades da obra, para que, conhecendo os bastidores, o leitor sinta-se bem próximo a ela.

Para isso, podem ser enviadas newsletters, para quem concedeu o e-mail para a empresa, com as principais notícias e curiosidades da semana, por exemplo, e essas notícias serem links para o site e redes sociais da editora.

Além disso, no blog, o conteúdo será algo mais aprofundado a respeito do tema e que ensine ou solucione um problema do cliente.

Por exemplo, um post feito no blog da editora com o título “Compre tal livro” não é marketing de conteúdo, mas sim uma propaganda direta. Já um post que fala sobre o universo do livro, sobre curiosidades a respeito, sem fazer uma promoção direta, é marketing de conteúdo, pois apresenta uma informação a respeito do produto da empresa, e não somente a cara desse produto.

Divulgando com conteúdo

Produzir conteúdo é uma boa forma de criar empatia com as pessoas que consomem seu produto, ou com futuros consumidores, que terão na sua marca não somente algo que poderão comprar, mas também uma referência, já que é a sua marca a especialista a respeito, possuindo e compartilhando um grande conhecimento.

O marketing de conteúdo é um modelo de marketing em que não há uma promoção direta, como no tradicional. É uma troca de informações que faz com que a empresa torne-se autoridade em assuntos relacionados ao produto dela, além de ser um ponto de encontro no qual os clientes podem se informar mais.

Assim, o cliente confia mais na empresa e pode se fidelizar a ela, sempre consumindo produtos da marca, pois o contato com a pessoa é constante e direto, ao contrário do marketing tradicional.

Lembre-se que para criar o conteúdo tem que saber qual o objetivo principal daquelas informações serem passadas ao seu cliente. Pode ser para ajudar, informar, entreter?

Essas ideias são a base para começar a implementar o marketing de conteúdo na sua empresa. Caso queira saber mais detalhes e ainda receber umas dicas de como criar os posts, infográficos e e-books é só acessar o nosso curso de Marketing de Conteúdo. Além disso, também pode conferir mais informações no livro da Casa do Código Marketing de Conteúdo: Estratégias para entregar o que seu público quer consumir.

FIQUE POR DENTRO

Próximo ArtigoGuia de Unidades no CSS